Início > Windows Client/Server > Windows Vista/7 Resize Volume – Extend/Shrink – Como usá-lo corretamente?

Windows Vista/7 Resize Volume – Extend/Shrink – Como usá-lo corretamente?

agosto 30, 2010

Olá meu caro leitor!

Neste post minha intenção é esclarecer algumas dúvidas dos end-users que fazem uso deste recurso inserido a partir do Windows Vista e presente também no Windows 7. O Resize Volume (Extend/Shrink Volume).

É muito comum, na medida em que um end-user acumula arquivos (documentos, músicas, planilhas, instaladores de software, jogos, etc.), o desejo de aumentar o tamanho de um volume quando  o mesmo está com seu espaço livre disponível se esgotando.

Há atualmente diversos softwares de terceiros que permitem este tipo de processo. O Partition Magic é o mais conhecido e utilizado software para tratamento de volumes na plataforma Microsoft quando o objetivo é aumentar uma partição existente sem a necessidade de reinstalar o sistema operaciona completamente.

Um ponto muito crítico neste tipo de processo e que deve ser levado em consideração pelos end-users que fazem uso de softwares como Partition Magic é a possibiliade de perda de arquivo e/ou corrompimento do sistema operacional se medidas básicas não forem seguidas antes de efetivamente iniciar o processo de resize partition.

Um problema comum encontrado por usuários que fazem uso do recurso nativo no Windows Vista/7 é a tentativa de aumentar o tamanho de uma partição com espaço desalocado a esquerda da partição que se pretende aumentar o tamanho.

Por default, o motor que faz o resize volume no Windows Vista/7 permite este procedimento apenas se o espaço desalocado estiver a direita do volume no qual se pretende estender o espaço atual. Resumindo, só é possível acrescentar um espaço desalocado a um determinado volume a partir do final desde, nunca em seu inicio.

Olhemos a imagem abaixo para entendermos melhor sobre o que eu estou falando.

Windows Computer Management Console

Na imagem, podemos ver perfeitamente que há três (3) volumes criados e dois (2) espaços desalocados com o tamanho de quatro (4) GigaBytes.

O que é possível fazer neste caso? Há apenas duas possibilidades se estivermos utilizando a ferramenta nativa do Windows Vista/7. Estender o volume C: em mais quatro (4) GB com o espaço desalocado a sua direita ou estender o volume D: em quatro (4) GB com o espaço desalocado a sua direita.

Não é possível estender o volume C: em oito (8) GB usando ambos os espaços desalocados devido a haver um outro volume entre eles.

Não é possível estender o volume D: em oito GB usando ambos os espaços desalocados devido a um dos espaços estar no inicio do volume D:.

Não é possível estender o volume D: em quatro GB usando o espaço que está ao lado esquerdo do volume D:. Como já dito anteriormente, só é possível acrescentar espaço ao final do volume, nunca ao inicio dele.

Redimensionar uma partição acrescentando espaço desalocado ao inicio de um volume só é possível com softwares de terceiros como o Partition Magic mencionado no inicio do post.

Outro problema muito comum entre end-users é a capacidade de espaço que o recurso disponibiliza ao executar um Shrink Volume.

Há considerações a serem feitas antes de tomar qualquer tipo de decisão no momento em que o recurso mostra um espaço inferior ao exibido como livre em disco.

Muitos end-users desconsideram que o Storage Management do Windows disponibiliza a informação de espaço livre, lendo a tabela de alocação do volume e somando todos os espaços marcados como unallocated. Este processo não informa se estes espaços são contiguos ou não.

Quando executamos o Shrink Volume, este recurso verifica o maior espaço desalocado disponível no final do volume. Resumindo, podemos ter trinta (30) GB livres (espaços desalocados em partes espalhadas em um volume) e apenas cinco (5) disponíveis para reduzir este volume de tamanho.

Por esta razão é extremamente recomendado que seja feito uma desfragmentação completa no volume a ser reduzido para que arquivos alocados no final do volume sejam reordenados e colocados mais próximos no inicio do volume.

Outro ponto chave, é que a desfragmentação não garante que todo o espaço livre no volume seja aproveitado para um shrink levando em consideração que existem arquivo bloqueados (Pagefile, Hyberfil, SAM, SECURITY, SYSTEM, NTUser.dat, etc.) para movimentação em um volume.

Neste tipo de situação, o melhor a ser feito é usar um Defrag que possua o recurso de Offline Defrag (Desfragmentação no boot do Windows) devido a neste estado não haver arquivos bloqueados pelo sistema operacional ou então um Live CD como UBCD4Win que possui ferramentas de desfragmentação.

Mais um detalhe essencial. Estender um volume pode ser feito apenas entre partições do mesmo tipo. Logo, não é possível estender uma partição primária com um espaço livre em uma partição estendida.

Neste caso, é necessário remover a partição estendida para poder utilizar o espaço desalocado e estender uma partição primária.

É isso meu caro leitor! Espero que as informações sejam úteis para este recurso do Windows Vista/7.

Sem dúvida alguma, o redimensionamento de uma partição é um excelente recurso. Entretanto, fazer uma projeção futura para o uso de um volume específico como o C: de um equipamento que será o local onde estará instalado o sistema operacional é muito melhor.

Até o próximo post meu caro leitor…

  1. Pascal
    setembro 24, 2010 às 3:35 pm

    Obrigado amigo. Eu estava exatamente com este problema: instalei o W7 na particao C em cima do Vista (atualizacao) e deletei a particao D (Recoveery) do meu Dell 1525, que estava antes (a esquerda da C). Estava querendo aumentar a particao C do W7 com os 10 GB do D, mas o sistema nao deixava. Com o seu artigo, fiquei sabendo da restricao de so poder aumentar C com espaco disponivel numa particao a direita (no final), o que explica porque o Windows nao mostrava a opcao de estender, so a de reduzir. Agora vou e formatar de novo a particao de 10 GB e usa-la para armazenar dados.

  1. No trackbacks yet.
Os comentários estão desativados.
%d blogueiros gostam disto: